Entorse do Tornozelo

Estiramento excessivo dos ligamentos do tornozelo

Entorse do Tornozelo

A entorse do tornozelo é uma das lesões mais frequentes em contexto desportivo. Ocorre por estiramento excessivo dos ligamentos e restantes estruturas que garantem a estabilidade da articulação, podendo associar-se a rotura ou até a fraturas ósseas.

Na maioria das situações, trata-se de um problema ligeiro e o mecanismo mais comum é o trauma em inversão do pé (em que o pé vira para dentro) podendo ocorrer também trauma em eversão do pé (em que o pé vira para fora), sendo este bastante mais raro.

São classificadas em diferentes graus (I-leve; II-moderada; III-grave), consoante a dimensão da lesão ligamentar e sintomas clínicos associados.

Sintomas

Os principais sintomas são: dor, edema (inchaço),  hematoma, sensibilidade ao toque, rubor (vermelhidão), aumento de temperatura local, dificuldade em apoiar o pé no chão, ficar em pé ou andar. Estes sintomas variam de acordo com o grau e tipo de lesão.

Após a entorse a reabilitação precoce é fundamental e vai permitir uma retoma das atividades diárias e desportivas de forma mais rápida e segura, uma vez que o risco de reincidência é elevado. Deve ser iniciado o método PRICE (do inglês: Protection, Rest, Ice, Compression, Elevation – proteção, descanso, gelo, compressão, elevação) nas primeiras 24 horas após a lesão de forma a minimizar a dor e o edema. Não obstante, deverá procurar avaliação médica e cumprir o tratamento mais adequado à sua situação.

No processo de reabilitação e de acordo com a fase em que se encontra (fase inflamatória, fase de cicatrização ou fase de reeducação funcional), poderão ser incluídas algumas técnicas ao nível da fisioterapia, tais como:

  • Agentes físicos como o ultra-som, o laser ou a estimulação elétrica, que vão ter ação no controlo da dor e edema e contribuindo no processo de reparação tecidular;
  • As técnicas específicas de mobilização articular do tornozelo para melhorar a amplitude de movimento e permitir uma correta cicatrização das estruturas ligamentares;
  • O ensino na realização de exercícios que melhoram a força muscular, flexibilidade e a estabilidade do tornozelo, de forma a compensar a lesão ligamentar e assim, dar uma proteção ao ligamento enquanto este se encontra em fase de cicatrização;
  • O ensino de exercícios proprioceptivos, ou seja, treinar os músculos desta articulação a reagirem rapidamente a alterações na sua posição, prevenindo as entorses de repetição.

O tempo de recuperação após uma entorse é muito variável, de 1 a 2 semanas (entorse de grau I), 3 a 6 semanas (entorse de grau II) e 6 a 12 semanas (entorse de grau III). Estes tempos de recuperação vão depender de vários fatores, tais como: a gravidade da entorse, o tempo passado desde a lesão até ao início do tratamento, o tipo de tratamento, atividade profissional, forma física, sintomas e ocorrência de entorse prévia.

A recuperação poderá ser substancialmente mais rápida com o recursos a agentes físicos como TECAR e eletroterapia, podendo também se utilizar a hidroterapia para um mais rápido retorno à atividade física.

Como prevenir a entorse do tornozelo?

A realização de exercícios de estabilidade é o tratamento mais indicado para a prevenção das entorses. A realização destes exercícios melhoram o controlo da posição articular e evitam a ocorrência de novas lesões.

O programa de exercícios de estabilidade deve incluir exercícios dinâmicos, multidirecionais e específicos de cada modalidade. É essencial um correto aquecimento e a utilização de calçado adequado.

Para evitar futuras entorses, preste atenção aos sinais de alerta do seu corpo. Abrande quando sentir dor ou fadiga e mantenha-se em forma com bom equilíbrio muscular, flexibilidade, mobilidade e força.

Em casos extremos de instabilidade ou numa fase inicial de reintegração da atividade, poderá usar uma ligadura funcional ou uma ortótese.

Se precisa de tratamento para a entorse no tornozelo, entre em contacto com as nossas Clínicas de Fisioterapia em Lisboa.

Patologias

A Lesão Desportiva Tendinite
Entorse do Tornozelo
Lesões Musculares dos Isquiotibiais Rotura do Tendão de Aquiles Síndrome do Túnel do Tarso Cotovelo do Golfista ou Epitrocleíte Entorse no joelho Lombalgia ou Dor Lombar Lesões da coifa dos rotadores Periostite tibial ou Canelite Fascite plantar Artrite e Reumatismo Tendinopatia do Tendão de Aquiles Trocanterite ou Bursite trocantérica ou Síndrome doloroso do grande trocânter Tenossinovite de Quervain Escoliose Torcicolo Epicondilite
Acordos
Fale Connosco

Telefone 214 010 733 *
info@comcorpus.pt
* – Custo de chamada para a rede fixa nacional

PT
PT

A visita ao nosso site implica a concordância com os nossos Termos Legais, incluindo o uso de «cookies».

Ok