Fascite plantar

Retração dolorosa da fascia plantar, com aumento da sua curvatura

Fascite plantar

A fáscia plantar é uma banda espessa e forte, que se estende da parte inferior do osso do calcanhar (calcâneo) até aos dedos dos pés, comportando-se como um prolongamento do tendão de Aquiles. É pouco elástica e desempenha um papel importante na manutenção do arco do pé durante a marcha e o apoio.

A fascite plantar define-se por uma retração dolorosa da fascia plantar com aumento da sua curvatura.

Sintomas

O sintoma típico é uma dor plantar no calcanhar, especialmente nos primeiros passos da manhã ou depois de estar sentado por algum tempo. A dor melhora progressivamente com a marcha, intensificando-se novamente ao fim do dia.
Fascite plantar

Causas

A fascite plantar não tem necessariamente apenas uma causa. Vários fatores de risco podem aumentar a probabilidade de uma pessoa desenvolver esta condição. Entre eles incluem-se:

  • Idade-mais frequente entre os 40 e 60 anos
  • exercícios como corrida, com impacto repetido na fascia plantar
  • Pés planos (vulgarmente chamados de pés chatos), curvatura alta dos pés ou tensão dos músculos gémeos (também chamados da barriga da perna)
  • Excesso de peso, obesidade ou gravidez
  • Artrite
  • Estar em pé por longos períodos, muitas vezes com sapatos de salto alto

As mulheres são mais propensas do que os homens a sofrer desta condição quer pela gravidez quer pelo uso de calçado inadequado.

Diagnóstico

O diagnóstico é essencialmente clínico, no entanto a radiografia simples em carga, a ecografia e a Ressonância Magnética são meios importantes para auxiliar o diagnóstico, dando informação sobre o estado da fáscia plantar e estruturas envolventes.

O diagnóstico médico é feito com base na avaliação inicial através  consulta de Medicina Física e de Reabilitação ou Medicina Desportiva com um Médico  Ortopedista ou Fisiatra da nossa equipa.

Tratamento

O tratamento mais eficaz é o repouso com alívio da carga nos pés. A maioria dos casos tratam-se com tratamentos médicos não cirúrgicos ficando a cirurgia reservada para situações em que, apesar dos tratamentos, não se obtém resultados satisfatórias após um ano do início das queixas. Os exercícios são iniciados logo de forma progressiva até a total recuperação do paciente ao longo das sessões de Fisioterapia.

Por vezes, os médicos também recomendam:

  • Utilização de dispositivos ortóticos como sapatos adaptados, palmilhas almofadadas e suportes para os calcanhares.
  • Tala noturna: as pessoas geralmente dormem com os pés relaxados e a apontar para baixo. Nesta posição, o calcanhar relaxa, contraindo a fáscia plantar e os músculos gémeos o que aumenta a dor na curvatura do pé. A utilização de uma tala nocturna mantém o pé em flexão reduzindo a tensão muscular e na fáscia.
    A fisioterapia pode ajudar a alongar os músculos para melhorar a amplitude de movimento, reduzir a dor, a inflamação e ajudar na cura.
  • O tratamente anti-inflamatório com corticoides na fáscia podem diminuir a dor e a inflamação.

A grande maioria (cerca de 80-90%) dos pacientes melhorará com este tratamento médico ao longo de meses. Se nenhum destes tratamentos surtir efeito, o médico pode recomendar a cirurgia. Apesar de ser uma cirurgia de baixo risco, podem ocorrer nalguns casos complicações como dor ou lesões nervosas.

Existem duas opções principais:

A recessão do músculo gastrocnémio permite o alongamento dos músculos da região dos gémeos (barriga da perna) aumentando a amplitude do movimento no tornozelo e reduzindo o stress na fáscia plantar. Trata-se de uma cirurgia minimamente invasiva que pode reduzir o tempo de recuperação.
A fasciectomia que envolve um corte na fascia para reduzir a sua tensão. Pessoas com uma boa amplitude no tornozelo são os melhores candidatos para esse procedimento.

Prevenção

O aquecimento antes do início de qualquer atividade desportiva é essencial. É igualmente importante manter níveis adequados de atividade sem excesso de esforço ou sobrecarga.

A manutenção de um peso saudável ajuda a reduzir a pressão sobre os calcanhares.

Se precisa de tratamento para a fascine plantar, entre em contacto com as nossas Clínicas de Fisioterapia em Lisboa.

Patologias

A Lesão Desportiva Tendinite Entorse do Tornozelo Lesões Musculares dos Isquiotibiais Rotura do Tendão de Aquiles Síndrome do Túnel do Tarso Cotovelo do Golfista ou Epitrocleíte Entorse no joelho Lombalgia ou Dor Lombar Lesões da coifa dos rotadores Periostite tibial ou Canelite
Fascite plantar
Artrite e Reumatismo Tendinopatia do Tendão de Aquiles Trocanterite ou Bursite trocantérica ou Síndrome doloroso do grande trocânter Tenossinovite de Quervain Escoliose Torcicolo Epicondilite
Acordos
Fale Connosco

Telefone 214 010 733 *
info@comcorpus.pt
* – Custo de chamada para a rede fixa nacional

PT
PT

A visita ao nosso site implica a concordância com os nossos Termos Legais, incluindo o uso de «cookies».

Ok